A Cidade como uma Rede de Paisagens Estimulantes:

Considerações sobre a Composição dos Espaços Livres, seus Elementos de Destaque e Monumentos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18830/issn.1679-0944.n31.2021.02

Palavras-chave:

sistema de espaços livres, monumentos, marcos visuais

Resumo

Este artigo busca explorar questões relacionadas à estrutura das cidades, a partir do entendimento do papel dos espaços livres na percepção dos seus usuários e na própria vida cotidiana das cidades. Para isto, são analisados aspectos ligados à funcionalidade e a própria configuração espacial dos espaços livres. O objetivo da pesquisa é explorar questões já apontadas por autores e aplicar as teorias levantadas em exemplos de cidades tradicionais e novas. A metodologia consiste na revisão bibliográfica de autores que trataram do próprio fenômeno topológico, cujos entendimentos apontam para a cidade como um sistema de espaços livres interconectados, com hierarquias e sentidos próprios e, com determinados arranjos espaciais recorrentes. A aplicação destes entendimentos teve como resultado de pesquisa a identificação destes arranjos espaciais, em praças com monumentos e elementos de destaque, servindo de exemplos para ajudar a entender e verificar a importância destes elementos para a estruturação das cidades, sua percepção e relacionamento com seus habitantes. Como conclusão percebe-se que a maneira de ver e organizar os espaços livres, principalmente a partir do período barroco, é até hoje recorrente no planejamento de cidades no mundo, enfatizando a monumentalidade com aspectos simbólicos e uma ideia de ordem e disciplina nos arranjos espaciais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Luiz Pedro de Melo Cesar, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de Brasília

Possui graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal do Ceará (1992), mestrado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de Brasília (1997) e doutorado em Desenvolvimento Sustentável pela Universidade de Brasília (2003). Atualmente é professor adjunto da Universidade de Brasília. Desde 2007 ministra as seguintes disciplinas: Vegetação Aplicada ao Paisagismo; Estágio especiais em Planejamento Urbano 2; Paisagismo Urbano; Estágio Docente; Seminário em Arquitetura e Urbanismo; Trabalho Programado 1, Seminário Temático; Estágio Docente 2; Projeto de Urbanismo 2; Introdução ao Trabalho Final de Graduação; Projeto de Diplomação 2; Trabalho Final de Graduação; Projeto Paisagístico 1; Ensaio de Teoria e História de Arquitetura e Urbanismo.

José Marcelo Martins Medeiros, Programa de Pós-graduação em Ciências do Ambiente e Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal de Tocantins

Atualmente é professor efetivo do Curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Tocantins e Professor convidado do mestrado/doutorado em Ciências do Ambiente da UFT (PPG - CIAMB). Faz parte dos seguintes grupos de pesquisa: "A Sustentabilidade em Arquitetura e Urbanismo" (FAU-UnB, coordenadora: Dra. Marta Romero), "Desenho Urbano Sustentável Participativo para a Cidade Resiliente : Estratégias para Políticas Públicas contra a Violência submetido para Cidadania, violência e direitos humanos" (FAU-UnB, coordenadora: Dra. Marta Romero) e "Grupo de Estudos em Desenvolvimento Urbano e Regional - GEDUR" (UFT, coordenadora: Dra. Lucimara Oliveira). Possui pesquisa individual: O lago, a Cidade e a Verticalização - conflitos e possibilidades ao longo da orla de Palmas (Curso de Arquitetura e Urbanismo - UFT). Áreas de interesse: projeto arquitetônico de funções complexas, projeto arquitetônico sustentável, eco-urbanismo, paisagismo ecológico e geotecnologias.

Referências

ARANTES, Otília. O Lugar da Arquitetura depois dos Modernos. São Paulo: EDUSP, 1993. v. 1. 248p.

BENOUF, Alain. La mosaïculture. Jardins de France, Paris, SNHF. n. 7, p. 11-17. Sept. 2001.

CARVALHO, Juliano. Adros, Pátios E Cruzeiros: Movimento, teatro e persuasão. Cadernos PPG-AU/FAUUFBA. Ano 12, número especial 11, 2014.

CULLEN, Gordon. Paisagem urbana. São Paulo: Martins Fontes, 1983

BACON, Edmund N. Design of cities. Mexico: Thames and Hudson, 1978.

CESAR, Luiz Pedro M. Princípios Paisagísticos. Dissertação de Mestrado. Brasília: Universidade de Brasília, FAU, 1997.

CESAR, Luiz Pedro M. Visões de Mundo e Modelos de Paisagismo. Tese de Doutorado. Brasília: Universidade de Brasília, CDS, 2003.

FRAMPTON, Keneth. História Crítica de la Arquitetura Moderna. Barcelona, Ed. Gustavo Gilli, Barcelona, 1991.

GREGOTTI, Vittório. Território da Arquitetura. São Paulo, Ed. Perspectiva, 1975.

HOLANDA, Frederico. O espaço de exceção. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2002.

HOLANDA, Frederico; PEREIRA, Rafael; MEDEIROS, Valério; BARROS, Ana. O uso da Sintaxe Espacial na análise do desempenho do transporte urbano: limites e potencialidades. In: PNUM. Lisboa: Instituto Universitário de Lisboa, 2012. v. 2. p. 1503-1528.

KOHLSDORF, Maria Elaine. A Apreensão da Forma da Cidade. Brasília: Universidade de Brasília, 1996.

LIMA, Gabriela. Teoria da Gestalt: uma Aplicação de Conceitos na Arquitetura. Revista Thêma et Scientia – Vol. 4, no 1, jan/jun 2014.

LYNCH, Kelvin. A Imagem da Cidade. Lisboa: Ed. Arte e Comunicação, 1960.

MEDEIROS, José Marcelo M. Parques Lineares ao Longo de Corpos Hídricos Urbanos: Conflitos e Possibilidades; O Caso da Orla do Lago Paranoá – DF. Tese de doutorado. Brasília: Universidade de Brasília, FAU, 2016.

MENEZES, Alexandre. Percepção, memória e criatividade em arquitetura. Cadernos de Arquitetura e Urbanismo, Belo Horizonte, v.14 - n.15 - dezembro 2007.

ROSSI, Aldo. The Architecture of the City. Cambridge: Mitt Press, 1982.

SITTE, Camillo. A construção das cidades segundo seus princípios artísticos. São Paulo: Ática, 1993.

Publicado

2021-07-20

Como Citar

de Melo Cesar, L. P. ., & Medeiros, J. M. M. (2021). A Cidade como uma Rede de Paisagens Estimulantes: : Considerações sobre a Composição dos Espaços Livres, seus Elementos de Destaque e Monumentos. Paranoá, (31). https://doi.org/10.18830/issn.1679-0944.n31.2021.02

Edição

Seção

Projeto e Planejamento