O acervo da SAGMACS no Brasil e o Fundo Lebret na França

Autores

  • Lucas Ricardo Cestaro Instituto de arquitetura e Urbanismo, Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo https://orcid.org/0000-0002-1267-5019
  • Carlos Roberto Monteiro de Andrade Instituto de Arquitetura e Urbanismo, Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo https://orcid.org/0000-0003-0393-0695

DOI:

https://doi.org/10.18830/issn.1679-0944.n32.2022.13

Palavras-chave:

Economia Humana, Planejamento Territorial, História das Instituições

Resumo

A análise da atuação e das contribuições de Louis-Joseph Lebret em relação a questão urbana se ampliou na última década e repercutiu em trabalhos que incrementaram a historiografia do urbanismo no Brasil. Visando contribuir com a análise da atuação de Lebret no Brasil e a repercussão sobre questões voltadas ao planejamento urbano,  durante os anos de 1950 e 1960, este trabalho apresenta um percurso de pesquisa que analisa as aproximações entre fontes documentais que permitiram a elucidação da relação de Lebret com a questão urbana, bem como contribuíram com a formação de profissionais para atuação na área. Para tanto, apresenta-se um quadro referencial, a partir do acervo da SAGMACS, depositado na biblioteca do Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP e do acervo organizado pelo Centro Lebret-IRFED, depositado no Arquivo Nacional da França. O trabalho contribui expondo fontes documentais que permitem interação entre os arquivos visitados e a delimitação de pesquisas que aprofundam o entendimento sobre o ideário lebretiano, a atuação da SAGMACS e do Economia e Humanismo e suas contribuições na formação de profissionais, e na formulação de métodos e ideias para o campo do urbanismo e do planejamento territorial no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Lucas Ricardo Cestaro, Instituto de arquitetura e Urbanismo, Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo

Pós-Doutorando no Instituto de Arquitetura e Urbanismo – IAUUSP e pesquisador vinculado ao grupo de pesquisas YBY, desde março de 2021. Foi professor substituto na Universidade Federal do Paraná (2019-2021) e pesquisador no Laboratório de Habitação e Urbanismo – LAHURB/UFPR. Graduado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Metodista de Piracicaba/UNIMEP (2003), com mestrado (2009) e doutorado (2015) pelo IAUUSP. Foi professor do curso de Arquitetura e Urbanismo da UNIMEP (2015-2019), tendo exercido mandato de coordenador do curso (2018-2019), professor do curso de Arquitetura e Urbanismo da Escola Superior de Tecnologia de Rio Claro (2008-2016). Trabalhou na Secretaria de Planejamento, Desenvolvimento e Meio Ambiente da Prefeitura de Rio Claro/SP (2009-2012), Secretaria de Obras e Urbanismo da Prefeitura de Limeira (2014-2015) e na Núcleo Engenharia Consultiva Ltda. (2005-2006). Pesquisa a atuação de Louis-Joseph Lebret e da SAGMACS, planos de desenvolvimento urbano e regional, regularização fundiária, participação popular no planejamento territorial e políticas habitacionais.

Carlos Roberto Monteiro de Andrade, Instituto de Arquitetura e Urbanismo, Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo

Possui graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo (1974), graduação em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo (1974), mestrado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo (1992) e doutorado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo (1998). Pós-doutorado junto ao Politécnico de Milão (set./2008 – fev./2009). Desde 1988 é docente do Departamento de Arquitetura e Urbanismo da Escola de Engenharia de São Carlos da USP, atualmente Instituto de Arquitetura e Urbanismo – IAU USP. Tem experiência na área de Arquitetura e Urbanismo, com ênfase em História do Urbanismo, atuando principalmente nos temas: urbanismo moderno, cidade nova planejada, cidade-jardim e bairro-jardim, historiografia da cidade e do urbanismo e urbanismo sanitarismo, trajetórias profissionais de engenheiros, arquitetos e urbanistas, a Internacional Situacionista: arte, nomadismo e anti-urbanismo.

Referências

ANGELO, Michelly Ramos de. Louis-Joseph Lebret e a SAGMACS. A formação de um grupo de ação para o planejamento urbano no Brasil. São Paulo: Alameda, 2013.

CELESTIN, Georges. Lebret et l’aménagement du territoire. Les Amis du Père Lebret, Paris, núm. 1, mai. 1981.

CESTARO, Lucas Ricardo. A atuação de Lebret e da SAGMACS no Brasil (1947-1964). Ideias, planos e contribuições. Tese de Doutorado. São Carlos, 2015.

CESTARO, Lucas. Urbanismo e Humanismo: a SAGMACS e o estudo da Aglomeração Paulistana. Dissertação de Mestrado. São Carlos, 2009.

DODI, Luigi. Elementi di Urbanistica. 2ª. Ed. Milão: Tamburini, 1953.

FRANÇOIS, Dosse. A saga dos intelectuais franceses. Volume I: À prova da história (1944-1968). São Paulo: Estação Liberdade, 2021.

GARREAU, Lydie. Louis-Joseph Lebret (1887-1966): un homme traqué. Itinéraire d’un combat pour la renovation d’une Eglise ouverte au monde. [s.l.]. Editions Golias, 1997.

HOUÉE, Paul. Louis Joseph Lebret: un éveilleur d’humanité. Paris: Les Editions de L’Atelier, 1997.

LAMPARELLI, Celso Monteiro. Louis Joseph Lebret e a pesquisa urbano-regional no Brasil: crônicas tardias ou história prematura. Revista Espaço e Debates, núm. 37, p. 90-99. São Paulo, 1994.

LEME, Maria Cristina da Silva. A pesquisa pioneira de Lebret sobre as condições de habitação em São Paulo. Revista Espaço e Debates, v. 24, núm. 45, p. 110-113. São Paulo, 2004.

LEME, Maria Cristina da Silva. A formação do urbanismo no Brasil 1895-1965. Anais do V Seminário de História da Cidade e do Urbanismo. Campinas, 1998.

LEME, Maria Cristina da Silva e LAMPARELLI, Celso Monteiro. A politização do urbanismo no Brasil: a vertente católica. Anais do IX Encontro Nacional da Associação Nacional de Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional. Rio de Janeiro, 2001.

LEPETIT, Bernard. Por uma nova história urbana. São Paulo: EdUSP, 2001.

PELLETIER, Denis. Économie et Humanisme: de l’utopie communautaire au combat pour le tiers monde (1941-1966). Paris: Les Éditions du Cerf, 1996.

PELLETIER, Denis. Le Fonds Lebret: une étude critique. Cahier dus Amis du Père Lebret, núm. 8. Paris, 1988.

PONTUAL, Virgínia. O urbanismo aplicado do Mestre Gaston Bardet: conferências, cursos e instituições. Urbana revista eletrônica do Centro Interdisciplinar de estudos da cidade, vol. 8, núm. 3, p. 89-110, 2016.

PONTUAL, Virgínia. O Engenheiro Antônio Bezerra Baltar: prática urbanística, CEPUR e SAGMACS. Revista brasileira de estudos urbanos e regionais, vol. 13, p. 151-169, 2011.

PONTUAL, Virgínia; CABRAL, Renata; PEREIRA, Juliana. O urbanista por seus livros: possíveis leituras sobre a biblioteca de Antônio Baltar. Urbana revista eletrônica do Centro Interdisciplinar de estudos da cidade, vol. 6, núm. 1, p. 166-189, 2014.

POULAT, Émile et BOUTELOUPT, Collete. Un noveau fonds d’archives: les papiers du Père Lebret. Revue d’histoire ecclésiastique, vol. LXXVIII-2, p. 468-472, 1983.

PUEL, Hugue. Économie et Humanisme dans le movement de la modernité. Paris: Les Éditions du Cerf, 2004.

ROLDAN, Dinalva Derenzo. Um ideário urbano em desenvolvimento. Dissertação de Mestrado. São Paulo, 2012.

SIMÕES JUNIOR, José Geraldo e SALGUEIRO, Heliana Angoti (orgs). Luiz Anhaia Melo: um pioneiro do urbanismo paulistano. São Paulo: Editora Mackenzie, 2020.

VALLADARES, Lícia do Prado. A gênese da favela carioca. A produção anterior às ciências sociais. Revista Brasileira de Ciências Sociais, vol. 15, núm. 44, p. 5-34, 2000.

Downloads

Publicado

2022-07-04

Como Citar

Cestaro, L. R., & Andrade, C. R. M. de. (2022). O acervo da SAGMACS no Brasil e o Fundo Lebret na França. Paranoá, (32), 1–16. https://doi.org/10.18830/issn.1679-0944.n32.2022.13

Edição

Seção

Edição Temática: Arquivos e Acervos em Arquitetura e Urbanismo