Santa Luzia resiste

Processo participativo e padrões espaciais para elaboração do Plano de Bairro e do Projeto de Habitação das Mulheres Poderosas.

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18830/issn.1679-0944.n29.2021.02

Palavras-chave:

Processo Participativo, Plano de bairro, Projeto habitacional, Mulheres Poderosas, Linguagem de padrões

Resumo

Este trabalho tem como objetivo demonstrar os processos participativos, a elaboração e a sistematização de padrões espaciais baseados em Alexander et al. (1977) e Andrade (2014), considerando as dimensões da sustentabilidade para construção do Plano de Bairro de Santa Luzia e do Projeto Habitacional das Mulheres Poderosas desenvolvidos pelo Grupo de Pesquisa e Extensão Periférico como alternativa à proposta da Companhia de Desenvolvimento Habitacional ”“ CODHAB. Santa Luzia é uma ocupação urbana de 20 mil habitantes na Cidade Estrutural sem infraestrutura básica, na região onde havia o antigo Lixão que contribuiu para o progressivo aumento da população de catadores na faixa de tamponamento de 300 metros da Área de Relevante Interesse Ecológico, criada posteriormente à ocupação urbana, nas bordas do Parque Nacional de Brasília. Para resolver os conflitos socioambientais a CODHAB desenvolveu um projeto habitacional que prevê 4 lajes sobrepostas ao longo de 3,2 quilômetros para receber cerca de 2400 unidades habitacionais. No entanto, a população não se sente contemplada, principalmente considerando as remoções de moradias de alvenaria, caracterizadas pela autoconstrução e padrões urbanos orgânicos emergentes. Os resultados do Plano de Bairro e do Projeto Habitacional elaborados em conjunto com a população reforçam a riqueza do desenho dos padrões espaciais e de acontecimentos existentes, e propõem soluções mais sustentáveis com hierarquia viária, infraestrutura ecológica e parque linear para fixação da população.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Liza Maria Souza de Andrade, Universidade de Brasília, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo

Arquiteta de formação, professora adjunta da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de Brasília, líder do Grupo de Pesquisa e Extensão, "Periférico, trabalhos emergentes", vice-coordenadora do NP+CTS - Núcleo de Política de Ciência e Tecnologia e Sociedade do Centro de Estudos Avançados Multidisciplinares  - CEAM da Universidade de Brasília. É membro da coordenação operacinoal do Núcleo DF Metropolitano do BrCidades e integra a Rede Moradia-Assessoria e do Observatório Nacional dos Direito à Agua e ao Saneamento - ONDAS. Foi membro da Camara de Extensão da UnB (2016-2020) e Coordenadora de Extensão da FAU/UnB (2018-2020) e orientadora/coordenadora do Escritório Modelo CASAS (2013-2020). É também vice-líder do Grupo de Pesquisa Água e Ambiente Construído e membro do Conselho de Saneamento Básico do Distrito Federal ”“ CONSAB.

Juliette Anna Fanny Lenoir, Universidade de Brasília, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo

Doutoranda na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de Brasília (FAU-UnB) e coordenadora de políticas públicas na gestão 2020-2022 do IAB-DF. Mestre em Arquitetura e Urbanismo, formada pela Escola Politécnica Federal de Lausanne, (EPFL) na Suíça em 2015. É pesquisadora nos núcleos do DF da rede nacional do Atlas da precariedade e experiências em ATHIS no Brasil e do projeto Brasil Cidades (Br Cidades).

Sofia de Freitas Portugal, Universidade de Brasília, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo

Graduanda em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de Brasília. Possui interesse em áreas de extensão universitária, assistência técnica em arquitetura e urbanismo, urbanismo social, regularização fundiária, direito à cidade e direito à moradia. Dentro da universidade participou do Escritório Modelo de Arquitetura e Urbanismo Centro de Ação Social em Arquitetura Sustentável (EMAU CASAS), grupo extensionista que vincula universidade à populações marginalizadas por meio de processo participativo democrático. Atualmente, faz estágio na Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (CODHAB/DF), na Diretoria de Assistência Técnica, e participa do Grupo de Pesquisa e Extensão ?Periférico, trabalhos emergentes?, que integra a discussão sobre táticas urbanas à tecnologia social e inovação.

Átila Rezende Fialho, Universidade de Brasília, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo

Recém graduado em Arquitetura e Urbanismo, mestrando no PPG-FAU-UnB, teve variada experiência tanto acadêmica quanto política ao longo dos últimos anos, seja participando de projetos do Escritório Modelo, o CASAS (Centro de Ação Social em Arquitetura Sustentável), sendo presidente do Centro Acadêmico de Arquitetura e Urbanismo da UnB (CAFAU-UnB) durante os anos de Gestão Rodô (2017-2018), participando da organização da semana universitária de arquitetura e urbanismo de 2016, a semana ESCALA, atuando na FENEA (Federação Nacional dos Estudantes de Arquitetura), durantes os anos de 2014 e 2015,ou mesmo fazendo parte do grupo de extensão "Periférico Trabalhos Emergentes". Durante o programa Ciências sem Fronteiras, fez um programa de graduação sanduíce na Universidade de Groningen, intitulado “Spatial problems, spatial policies” entre agosto de 2015 e junho de 2016. Tem interesse pelas áreas de planejamento urbano e regional, teoria e história crítica em urbanismo e Bioconstrução, com especial destaque para temas como direito à cidade e moradia, meio-ambiente, ocupações urbanas e rurais e movimentos sociais. Como pesquisador, já participou de PIBIC e de Congressos como IX CBDU (Congresso Brasileiro de Direito Urbanístico), em 2017, e XVIII ENANPUR, em 2019.

Referências

ACSELRAD, H.; VIÉGAS, R. N. Cartografias sociais e território: um diálogo latino americano. In: ACSELRAD, Henri (org.). Cartografia social, terra e território. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional, ETTERN/IPPUR/UFRJ, 2013. 318p.
ALEXANDER, C. et al. A Pattern Language. New York: Oxford University Press. 1218 p. 1977a.
ALEXANDER, C. Timeless way of Building. New York: Oxford University Press. 572p. 1977b.
ANDRADE, L. M. S. de; LEMOS, N. da S.; LENOIR, J.; LOUREIRO, V. T. Extensão e tecnociência solidária: periférico no df e entorno. Cadernos de Arquitetura e Urbanismo. PUCMG. 2019
ANDRADE, L. M. S. de; LEMOS, N. da S.; SILVIA, M. E. M.; LOUREIRO, V. T. Adequação sociotécnica para projetos de urbanismo participativo do grupo de pesquisa e extensão periférico: Táticas urbanas como tecnologia social, dimensões da sustentabilidade, padrões espaciais e de acontecimentos e construção de cenários. In: XVIII Encontro Nacional da ANPUR, Natal. 2019.
MIRANDA, J. C. B.; ANDRADE, L M. S. Análise comparativa segundo as dimensões da sustentabilidade entre a ocupação das chácaras Santa Luzia e a proposta para habitação social do governo. Fórum ambiental da alta paulista, v. 14, p. 28-45, 2018.
ANDRADE, L. M. S.; LEMOS, N. da S. Qualidade de projeto urbanístico: sustentabilidade e qualidade da forma urbana. In: AMORIM, C. N. D. et al. Avaliação da qualidade da habitação de interesse social: projetos arquitetônicos e urbanístico e qualidade urbanística. Brasília, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, UnB, 2015.
ANDRADE, L. M. S. de. Conexão dos padrões espaciais dos ecossistemas urbanos: a construção de um método com enfoque transdisciplinar para o processo de desenho urbano sensível à água no nível da comunidade e da paisagem. 2014. 544 f., il. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade de Brasília, Brasília, 2014.
CODEPLAN - Companhia de Planejamento do Distrito Federal. PDAD ”“ Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios. Disponível em: http://www.codeplan.df.gov.br/pdad-2018/ Acesso em: 03 out. 2019
FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DE BENS, SERVIÇOS E TURISMO DE SÃO PAULO, FECOMERCIO SP. Plano de desenvolvimento do bairro: Uma metodologia participativa. São Paulo: FISCHER2, 2013. Disponível em: <https://issuu.com/fecomercio/docs>. Acesso em: 16 de set. de 2019.
FIALHO, Á. R. Plano de Bairro de Santa Luzia. 2019. 141 p. Projeto Final de Diplomação (Arquiteto e Urbanista). Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de Brasília, FAU/UnB. Brasília, 2019.
FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 25ª edição. São Paulo: Paz e Terra. 1996.
MARICATO, E. As ideias fora do lugar, e o lugar fora das ideias. In: ARANTES, O. B. F.; VAINER, C.; MARICATO, E. A cidade do pensamento único. Desmanchando consensos. Coleção Zero à esquerda, Petrópolis, Vozes, 2000.
MURILLO, F. (Dir.) et al. Planear el barrio: urbanismo participativo para construir el derecho a la ciudad. Buenos Aires: Cuentahilos, 2011. 42 p.
NEDER, R. T. A produção do conhecimento na universidade e os estudos sociais da ciência e tecnologia: contribuições para o ensino e a pesquisa. In: NEDER, R. T. (org.). CTS - ciência tecnologia sociedade e a produção de conhecimento na Universidade. Observatório do Movimento pela Tecnologia Social na América Latina, Universidade de Brasília. Brasília, 2013.
PEABIRU TCA, Trabalhos Comunitários e Ambientais. Plano Alternativo para a Comunidade da Paz. São Paulo, 2013. Disponível em: <https://issuu.com/peabirutca/docs/caderno-final-8>. Último acesso em: 14/02/2020.
ROSA, M. L. Microplanejamento urbano: práticas urbanas criativas. São Paulo: Cultura, 2011.
SALINGAROS, N. A. A linguagem de padrões e o desenho interativo. Trad. Lívia Salomão Piccinini. 2003. Disponível em: https://zeta.math.utsa.edu/~yxk833/patterninteractive-port.pdf. Acesso em: 10 de out de 2019.
VILLAÇA, F. Uma contribuição para a história do planejamento urbano no Brasil. In: DEÁK, Csaba; SCHIFFER, S. (org.). O processo de urbanização no Brasil. São Paulo: Edusp, 1999. p 169-244.

Downloads

Publicado

2021-01-27

Como Citar

Souza de Andrade, L. M. ., Fanny Lenoir, J. A. ., de Freitas Portugal, S. ., & Rezende Fialho, Átila. (2021). Santa Luzia resiste: Processo participativo e padrões espaciais para elaboração do Plano de Bairro e do Projeto de Habitação das Mulheres Poderosas. Paranoá: Cadernos De Arquitetura E Urbanismo, (29). https://doi.org/10.18830/issn.1679-0944.n29.2021.02

Edição

Seção

Projeto e Planejamento

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)