Ferrovia e cidade transformações urbanas em cidade de médio porte no sul do Brasil

Autores

  • Pricila Spagnollo Faculdade Meridional IMED, Arquitetura e Urbanismo, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Arquitetura e Urbanismo https://orcid.org/0000-0002-0800-6357
  • Caliane Christie Oliveira de Almeida Faculdade Meridional IMED; Arquitetura e Urbanismo; Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Arquitetura e Urbanismo https://orcid.org/0000-0002-8477-389X

DOI:

https://doi.org/10.18830/issn.1679-0944.n32.2022.04

Palavras-chave:

urbanização, sistema ferroviário, evolução urbana, mobilidade, Expansão urbana

Resumo

A implantação do sistema ferroviário no Brasil, a partir do século XIX, teve grande influência no crescimento econômico e populacional, bem como no desenvolvimento e na modernização de muitas cidades. Neste contexto, o objetivo deste manuscrito é analisar as transformações urbanas a partir da presença da ferrovia, visando compreender a influência da sua implantação/realocação na morfologia e na consolidação da cidade de Passo Fundo/RS-Brasil. Para tanto, foi realizada pesquisa documental e bibliográfica, partindo do resgate histórico acerca do tema, bem como da busca por registros fotográficos para a comparação cronológica. Logo, observa-se que houve, em recortes temporais distintos, relação de troca e dependência entre ferrovia e cidade. As cidades contempladas pelo trem se beneficiaram em algum momento com a inovação, agilidade e poder atrativo do sistema, que foi capaz de fortalecer núcleos existentes, instigar a criação de novos aglomerados e, em alguns casos, resultar na decadência de centros urbanos distantes de sua abrangência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Pricila Spagnollo, Faculdade Meridional IMED, Arquitetura e Urbanismo, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Arquitetura e Urbanismo

Arquiteta e Urbanista, pela Faculdade Meridional - IMED (2019). Atualmente é mestranda (Bolsista PROSUP/CAPES) no Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Arquitetura e Urbanismo da IMED PPGARQ-IMED, Campus Passo Fundo (Início 2020), vinculada à linha de pesquisa : Morfologia, Usos e Apropriações das Edificações e dos Espaços Construídos. Participa como integrante do Grupo de Pesquisa Teoria e História da Habitação e da Cidade (THAC-IMED).

Caliane Christie Oliveira de Almeida, Faculdade Meridional IMED; Arquitetura e Urbanismo; Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Arquitetura e Urbanismo

Possui graduação em Arquitetura e Urbanismo pela UFRN, mestrado em Arquitetura e Urbanismo pela Escola de Engenharia da USP, doutorado e pós-doutorado em Arquitetura e Urbanismo pelo IAU-USP. É Coordenadora e Docente do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Arquitetura e Urbanismo da IMED (PPGARQ-IMED); Bolsista de Produtividade em Pesquisa da Fundação Meridional; Coordenadora do Grupo de Pesquisa Teoria e História da Habitação e da Cidade (THAC-IMED); Pesquisadora permanente da Base de Pesquisa Estudos do Habitat e pesquisadora colaboradora do Grupo de Pesquisa História da Cidade, do Urbanismo e do Território (HCURB), do Departamento de Arquitetura UFRN, além de manter vínculo de pesquisa com outros Grupos de Pesquisa de IES do país.

Referências

ABREU, D. S. Formação histórica de uma cidade pioneira paulista: Presidente Prudente. Presidente Prudente, FFCLPP, 1972.

ALMEIDA, C. O. de. Habitação social: origens e produção (Natal, 1889-1964). 2007. Dissertação (Mestrado em Teoria e História da Arquitetura e do Urbanismo) - Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, São Carlos, 2007.

________. Habitação social no Nordeste: a atuação das CAPs e dos IAPs (1930-1964). Tese de Doutorado em Arquitetura e Urbanismo - (IAU-USP), 2012.

AZEVEDO, F. de. Um trem corre para o oeste: estudo sobre a Noroeste e seu papel no sistema de viação nacional. São Paulo, Livraria Martins, 1950.

BARAT, J. A evolução dos transportes no Brasil. Rio de Janeiro: IBGE: IPEA, 1978.

BATISTELLA, A.; KNACK, E. R. Antologia do município de Passo Fundo: a cidade e a região durante os séculos XVII, XVIII, e XIX. In: BATISTELLA, Alessandro (Org.). Passo Fundo, sua história. Passo Fundo: Méritos, 2007. P. 29-63.

BENFATTI, D. Patrimônio ferroviário e política pública. 2002. Disponível em: http://periodicos.puccampinas.edu.br/seer/index.php/oculum/article/view/1742. Acesso em: 25 nov. 2020.

BNDES. Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social. RFFSA: o modelo de desestatização dos serviços de transporte de carga. Revista Ferroviária, v.56, n.9, p.47-55, set. 1995.

BRIGAND, Robin; WELLER, Olivier. Kernel density estimation and transition maps of Moldavian Neolithic and Eneolithic settlement. 2018. Data in Brief. Volume 17. P. 452-458. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S2352340918300544 . Acesso em: 20 jan. 2021.

BORGES, B. G. Ferrovia e modernidade. Revista UFG: Dossiê Ferrovias, Goiânia, ano 12, n. 11, p. 27-36, dez. 2011.

CAMARA, I. P. Análise da percepção dos usuários do Parque da Gare – Passo Fundo/RS. Dissertação de Mestrado em Arquitetura e Urbanismo, IMED, Passo Fundo, 2018. Acesso em https://www.imed.edu.br/Uploads/AlumniReunions/INARA%20PAFNUSSAT%20CAMARA.pdf. Acesso em: 01 dez. 2020.

CAPEL, H. La morfologia de las ciudades. Sociedad, cultura y paisaje urbano. Barcelona: Serbal, 2002.

CARDOSO; ZAMIN (Org.) Patrimônio Ferroviário no Rio Grande do Sul. Inventário das Estações 1874 - 1959. IPHAE, Porto Alegre, 2002.

CASTRO, N.; LAMY, P. A reforma e a modernização do setor de transporte ferroviário de carga. Rio de Janeiro: Ipea, 1994. 61p.

CAVALCANTE, R. M. Caracterização de cânions urbanos e seus efeitos climáticos em área com intenso processo de verticalização na cidade de Fortaleza-CE. Revista Brasileira de Geografia Física, v. 10, n. 4, p. 1046-1058, maio 2017. ISSN 1984-2295. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/rbgfe/article/view/233986. Acesso em: 05 jan. 2021.

COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS DE PASSO FUNDO (CDHPF). Direito humano à moradia adequada. Desvelando o beira-trilho: situação e perspectivas. Relatório de estudos de caso. Passo Fundo: Editora IFIBE, 2016.

DEFFONTAINES, P. Como se constituiu no Brasil a rede de cidades. Boletim Geográfico (São Paulo), v. 14, 1944., p. 141 – 148; v. 15, 1944, p. 229 – 308.

DIAS, J. R. Caminhos de Ferro do Rio Grande do Sul: uma contribuição ao estudo da formação histórica do sistema de transportes ferroviários no Brasil meridional. São Paulo: Editora Rios, 1986.

DINIZ, P. C.; ALMEIDA, C. C. O. de. (Re)escrevendo a história da cidade: o mercado de terras de Passo Fundo (1920 – 1950). 2021. Revista Arq.Urb. N. 30 (2021): jan. - abr.. Disponível em: https://revistaarqurb.com.br/arqurb/article/view/458. Acesso em: 01 jul. 2021.

FINGER, A. E. Um século de estradas de ferro: arquiteturas das ferrovias no Brasil entre 1852 e 1957. 2013. 465 f., il. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo)—Universidade de Brasília, Brasília, 2013.

FIOREZE, Z.; BITENCOURT, L.; JORGE, M. Passo Fundo: 150 anos e a dinâmica do território. In: BATISTELLA, Alessandro (Org.). Passo Fundo, sua história. Passo Fundo: Méritos, 2007. P. 111-133.

FIORIN, E. Territórios de rastros: um caminho pelas transformações urbanas de Araçatuba-SP. Caderno Prudentino de Geografia, Presidente Prudente, n.35, Volume Especial, p. 26-38, 2013

GEIGER, P. Evolução da rede urbana brasileira. Coleção O Brasil Urbana, 1. Rio de Janeiro: Instituto Nacional de Estudos Pedagógicos/ Ministério da Educação e Cultura, 1963.

GHIRARDELLO, N. À beira da linha: formações urbanas da Noroeste paulista. São Paulo: Editora Unesp, 2002.

HOBSBAWM E. A era das revoluções. Europa. 1780-1848, 5 ed., Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1986, p. 262.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censos 1950/60/70/80 e 2010. Disponível em: https://censo2010.ibge.gov.br/sinopse/index.php?dados=8 . Acesso em: 19 jun. 2021.

INOUE, L.; ARAKAKI, E. Considerações sobre ferrovia e paisagem: O caso de Presidente Prudente e Rincão – SP. 2020. V. 12 n. 1 (2020): Edição 32 - Temporalidades, Belo Horizonte, Vol. 12, n.1. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/temporalidades/article/view/19606 . Acesso em: 01 nov. 2021.

JUNIOR, D. P.; ALMEIDA, C. C. O. de. KUJAWA, H. A. O ideário urbano de Saturnino de Brito e o plano de melhoramentos para a cidade de Passo Fundo/RS. Revista Oculum Ensaios, v.17, n.1, 2020.

LANG, A. E. As Ferrovias no Brasil e Avaliação Econômica de Projetos: Uma Aplicação em Projetos Ferroviários. Dissertação de Mestrado em Transportes, Publicação T.DM – 002/2007. Departamento de Engenharia Civil e Ambiental, Universidade de Brasília, Brasília, 2007.

MAIA, D. A Ferrovia nas cidades Bocas de Sertão: Alterações na Morfologia Urbana e no Território Brasileiro. I Seminário Internacional Brasil no século XIX. Vitória: Sociedade Brasileira de Estudos do Oitocentos. 2014 Disponível em: https://www.seo.org.br/images/Anais/Arthur/Doralice%20Styro%20Maia.pdf. Acesso em 08 dez. 2020.

MARINHEIRO, M. A. de L. Análise setorial: o caso da privatização do modal ferroviário brasileiro. Dissertação (mestrado) UNESP. Araraquara, 2012.

MARTINS, R.; CAIXETA FILHO, J. O desenvolvimento dos sistemas de transporte: auge, abandono e reativação recente das ferrovias. Revista Teoria e Evidência Econômica, v. 6, n. 11, 1998.

MEDEIROS, G. L. P. de. Caminhos que estruturam cidades: redes técnicas de transporte sobre trilhos e a conformação intra-urbana de Natal (1881 - 1937). Dissertação (mestrado) Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Natal, 2011.

MENDONÇA, A. da M.. Vazios e ruínas industriais Ensaio sobre friches urbaines. 2001. Disponível em: http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/arquitextos/02.014/869. Acesso em: 09 dez. 2020.

MONASTIRSKY, L. B. Ferrovia: patrimônio cultural. Estudo sobre a ferrovia brasileira a partir da região dos Campos Gerais (PR). Tese (Doutorado), Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. 2006.

MOUETTE, D. Os pedestres e o efeito barreira. São Paulo, Tese de Doutorado, POLI/USP, 1998.

PARIZZI, M. K. Passo Fundo: sua história e evolução. Passo Fundo: Berthier, 1983.

PESAVENTO, S. J. Exposições Universais: Espetáculos da Modernidade do Século XIX. São Paulo: Editora HUCITEC, 1997.

POLESE, P. Parque da Gare – O futuro que se solidifica através do passado. In: Locus, 2016. Disponível em: https://www.locusonline.com.br/2016/07/11/parque-da-gare-o-futuro-que-se-solidifica-atraves-do-passado/. Acesso em 20 dez. 2020.

PORTAS, N. Do cheio ao vazio. 2000. Disponível em: www.cidadeimaginaria.org/eu/Dovazioaocheio.doc. Acesso em: 10 dez. 2020.

Revista Caminhos do Trem, n. 1, São Paulo: Ediouro, s/d.

RÜCKERT, A. A trajetória da terra: ocupação e colonização do centro-norte do Rio Grande do Sul – 1827-1931. Passo Fundo: UPF, 1997.

_________. Metamorfoses do território: a agricultura de trigo/soja no Planalto Médio rio-grandense 1930-1990. Porto Alegre: UFRGS, 2003.

SANTOS, M. O Moderno Chega de Trem: Um estudo sobre o impacto da ferrovia numa freguesia (1887 – 1926). Dissertação de Mestrado Universidade Federal da Bahia, Salvador, 1992.

SCHICCHI, S., PEREIRA, L., RIBEIRO, L. E EVANGELISTA, A. (2019) Território e cidade: Novas problemáticas para a gestão do patrimônio cultural e industrial, in E. Oliveira (org.), Memória ferroviária e cultura do trabalho: balanços teóricos e metodológicos de registro de bens ferroviários numa perspectiva multidisciplinar, Cultura Acadêmica, São Paulo, 333-366.

SIKORA, D. A educação e seus condicionantes frente ao êxodo rural. Revista HISTEDBR On-line, 2013. P. 48-62.

SILVA, S. Os vizinhos dos trilhos: estudo sobre os territórios às margens da via férrea no município de Natal/RN. 2020. 159f. Dissertação (Mestrado em Estudos Urbanos e Regionais) - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2020.

SILVEIRA, M. Transporte e logística: as ferrovias no Brasil. Geosul, v. 17, n. 34, p. 63-86, 2002.

SOBARZO, O. Passo Fundo: uma cidade média do sul do Brasil na encruzilhada das horizontalidades e das verticalidades. In: BELLET, Carmen; SPOSITO, Maria (Org.). Las ciudades medias o intermedias em um mundo globalizado. Lleida, 2009. P. 145-158.

SPAGNOLLO, P; MACULAN, L. Proposta de Requalificação de Espaços Públicos ao longo da Orla Ferroviária de Passo Fundo /RS. Anais XIII Mostra de Iniciação Científica e Extensão Comunitária e XII Mostra de Pesquisa de Pós-Graduação. Passo Fundo: IMED, 2019.

SPOSITO, M.; ELIAS, D.; SOARES, B. R. (Org.). Agentes econômicos e reestruturação urbana e regional: Passo Fundo e Mossoró. 1ªed. São Paulo: Expressão Popular, 2010.

STEFANI, C. R. B. O sistema ferroviário paulista: um estudo sobre a evolução do transporte de passageiros sobre trilhos. 2007. 307f. Dissertação (Mestrado em Geografia)- Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências, Universidade de São Paulo, São Paulo.

TEDESCO, J. C. A Gare e o Trem em Passo Fundo: Sinergias Econômicas – 1898 - 1978. Porto Alegre: EST Edições, 2015.

_________. Passo Fundo e a produção do território pós-anos 1950: migração e urbanização. In: BATISTELLA, Alessandro (Org.). Passo Fundo, sua história. Passo Fundo: Méritos, 2007. P. 347-376.

VILLAÇA, F. A Estrutura Territorial da Metrópole Sul Brasileira: Áreas Residenciais e Comerciais. Tese (Doutorado em Geografia) – Departamento de Geografia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, USP, 1978.

WICKERT, A. P. Nos caminhos da ferrovia: A arquitetura ferroviária da linha Tronco Norte Gaúcha, 1883-1920. Dissertação de Mestrado. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, UFBA, 2002.

ZORZO, F. A. Ferrovia e Rede Urbana na Bahia: Doze cidades Conectadas pela Ferrovia no Sul do Recôncavo e Sudoeste Baiano (1870/1930). Feira de Santana: Universidade Estadual de Feira de Santana, 2001.

Downloads

Publicado

2022-02-17

Como Citar

Spagnollo, P., & Oliveira de Almeida, C. C. (2022). Ferrovia e cidade transformações urbanas em cidade de médio porte no sul do Brasil. Paranoá, (32), 1–26. https://doi.org/10.18830/issn.1679-0944.n32.2022.04

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)